Roadtrip URUGUAI – Cabo Polônio.

Cabo Polônio deve ser um dos lugares mais “roots” que já fomos. Chegamos na verdade a uma espécie de estação, onde se paga a entrada e se pega o transporte para o vilarejo. Para se chegar lá existem ao menos duas formas, uma é encarar cerca de 7km apé pelas dunas de areia e a outra que nós fizemos é pegar o transporte que sai do centro de visitantes e curtir as subidas e decidas das dunas abordo de um veículo bem diferente. 

“Estação” para Cabo Polônio.

Na ida, fomos na parte de baixo do caminhão/coisa pra evitar um arrependimento já que não conhecíamos a “estrada”, na volta fomos encima, com muito mais emoção. Nosso casal de amigos esteve conosco até chegarmos ao vilarejo, como eles ficariam a noite ali e nós seguiríamos viagem para Punta Del Este, nos separamos e fomos desbravar o vilarejo. Importante acrescentar que se fosse hoje, optaríamos por ficar uma noite no lugar encantador.

Sem trânsito e num dia muito ensolarado nos botamos a caminhar. Já definimos ir de início até o farol, que teoricamente é o ponto alto desse passeio e que literalmente é o motivo do lugar existir. Veja bem, algum tempinho atrás um galeão espanhol naufragou no local, os náufragos (CHIQUE) ficaram por lá e estabeleceram o vilarejo que hoje tantos de nós viajam para conhecer.

Praça Central e primeira vista que tivemos da vila.
Ruelas de Cabo Polônio

Seguimos pelas pequenas ruas de areia entre as casas em direção ao farol, é possível ir por fora da vila, mas acho que a graça não é a mesma. O lugar é incrível, cheio de pequenos bares, restaurantes e lanchonetes, todos com uma cara muito convidativa e como era alta temporada tinha uma quantidade bem bacana de pessoas por lá. Tudo tem seu charme, por lá vimos algumas construções diferentes, um clima bem amigável e boa educação de todos com quem conversamos.

Chegamos a um ponto onde encontramos o mar, ali começamos a andar pela “areia” da praia ainda em direção ao farol e começamos a ouvir uma espécie de grito coletivo ao fundo. Daqueles que se ouve em parques de diversão perto das montanhas russas, um grito que parece misturar alegria e desespero kkkk e ficamos pensando que atração poderiam ter colocado em um lugar que não tem nem energia elétrica ?

Isso mesmo, Cabo Polônio só tem energia por meio de geradores, então alguns hotéis/hostels não fornecem tomadas para que se carregue o celular por exemplo. Vimos inclusive um cliente fazendo um review muito ruim de um hotelzinho local, mas se pensarmos bem, naquele lugar o menor dos problemas é poder usar o celular  !!

Ahhh, sobre o grito já explico, logo depois das próximas fotos ! 

O farol !!
“Areia” de uma parte das prais de Cabo Polônio

Essa pequena parte de praia onde a areia são conchinhas fica já quase chegando no farol, o interessante é que aquele pequeno grito/uivo continuava e nós estávamos curiosos pra saber onde era, mas seguimos em direção ao farol e pouco antes de chegar descobrimos do que se tratava.

Acontece que Cabo Polônio é/tem uma LOBERIA, que é a morada de muitos Lobos Marinhos e aquele uivo na verdade era deles, que parece que gostam de fazer todos juntos. Achamos fantástico, muito diferente da experiência que tivemos na Patagônio onde eles ficavam muito longe, dessa vez poderíamos até encostar neles se quiséssemos, mas acho que não é recomendável. São animais fantásticos, muito diferentes e que já parecem não se preocupar muito com os turistas, e haviam MUITOS deles por lá nesse dia.

Passamos um bom tempo por ali, sentados nas pedras curtindo aquilo tudo, atrás de nós estava o farol, mas esse lugar merecia um bom tempo de observação. Depois de aproveitar bastante andamos mais alguns metros e chegamos no farol, a vista de lá é muito bacana já que está mais alto que o vilarejo, existe um passeio para conhecer o farol e também para subir até o topo dele, mas no horário que fomos não estava aberto, e como não tínhamos muito tempo decidimos só curtir por fora mesmo e voltar lá pra baixo achar algum lugar pra descansar e comer algo.

Fraol de Cabo Polonio
Vista do “jardim” do Farol

Voltamos então lá pra baixo, mas desta vez pela parte de trás da vila, chegamos a um pequeno restaurante que passamos antes e vimos uns pratos chamativos, e pedimos nosso almoço.

Chivito
Milanesa

Depois de comer continuamos nosso passeio pelas praias, algumas lojinhas de artesanato, compramos nosso imã de geladeira como sempre e uma espécie de copinho também.

Passamos um tempo na praia, só conversando mesmo ali na tranquilidade de Cabo Polonio, mas como não passaríamos a noite tinha chegado a hora de pegarmos o transporte e voltar, ele vem algumas vezes no dia, então fomos até o “ponto” esperar. 

Encontramos mais um casal de brasileiros com quem dividimos uma excelente jarra de suco de limão enquanto o caminhão não chegava, a melhor parte de rodar o mundo é conhecer pessoas de todos os cantos, e nós sempre fazemos amizades, mas é sempre bom conhecer gente da nossa terra também. Eles seguiriam viagem para Colonia del Sacramento, e nós fomos somente até Punta Del Este.

CUSTO DE CABO POLONIO – DEZEMBRO DE 2017

Estacionamento: 190 pesos.                                                                                          Entrada e Transporte: 230 pesos por pessoa.                                                            Alimentação: 740 pesos.                                                                                                Nós pedimos um chivito e um milanesa ao pão como mostro nas fotos acima e também duas pepsis 500ml, mas não sabíamos o tamanho e o chivito e uma pepsi teriam sido suficientes e diminuído o custo do almoço.

Compartilhe essa postagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *